Vitória da categoria na luta pela vacinação prioritária

Mais uma vez a FESOJUS-BR vem a público demonstrar a eficiência de seu trabalho sério na defesa dos interesses da categoria dos Oficiais de Justiça do país. Sem alarde ou vaidades, mas tão somente com a vontade consciente e dirigida para proteger a categoria alcançamos uma vitória importantíssima no âmbito da campanha pela vacinação prioritária dos Oficiais de Justiça.

Na tarde de hoje, 31/03/2021, atendendo a pedido da Federação das Entidades Sindicais dos Oficiais de Justiça – FESOJUS-BR, o deputado federal Charles Evangelista (PSL/MG) apresentou a emenda nº 47 ao PL 1011/20 em mãos da relatoria, que acatou a emenda e enviou ao plenário para aprovação, tendo sido aprovada na sessão às 20h11min.

A emenda apresentada nos coloca no rol de pessoas a receberem prioritariamente a vacinação contra a covid-19, o que significa justiça para com nossa categoria que vem perecendo em razão das complicações advindas da contaminação.

O que pudemos ver no dia de hoje foi o restabelecimento da verdade quanto ao compromisso deste federação na defesa dos interesses dos Oficiais de Justiça.

Nossa incondicional gratidão ao deputado federal pela emenda apresentada e pela disponibilidade em nos atender.

Igualmente agradecemos o empenho do deputado federal Ricardo Silva (PSB/SP) que da mesma maneira trabalhou pela aprovação da emenda 47 e do PL 1011/20 e que sempre nos atende com absoluta atenção, inclusive com a costumeira defesa em tribuna da categoria, enaltecendo nossa importância para a justiça e realização da pacificação social.

Guardamos a certeza de que estamos muito bem representados na Câmara Federal pelos dignos Oficiais de Justiça licenciados, ora deputados, Charlles Evangelista e Ricardo Silva.

Veja aqui o vídeo do deputado aos Oficiais de Justiça do Brasil.

Vamos acompanhar atentamente a conclusão das votações dos destaques na próxima semana e a respectiva votação no Senado Federal, as quais confiamos ocorra positiva e o mais brevemente possível.

As tratativas junto ao Ministério da Saúde permanecem em andamento e sabemos que o quantitativo das vacinas disponíveis é bem restrita, razão pela qual deverá ser aguardado com parcimônia a conclusão do processo legislativo com a sanção presidencial para, aí sim, procedermos à almejada vacinação.

Acompanhe em nossas mídias as atualizações acerca da matéria.

#Juntos somos mais fortes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *