Presidente do CNJ destaca a importância da tecnologia para a celeridade jurisdicional

O Conselho Nacional de Justiça realizou o lançamento do Programa Justiça 4.0, com evento transmitido pelo Youtube entre os dias 24 e 26/02/21 denominado Webinário Justiça 4.0. Durante o encontro foram apresentadas as soluções tecnológicas contempladas no programa, das estratégias de inteligência artificial, da própria Plataforma Digital do Poder Judiciário e de outras soluções utilizadas nos processos judiciais, entre outras atividades e debates que permeiam o tema.

O SINDOJUS-GO acompanhou o encontro e destaca a participação do presidente do CNJ, Ministro Luiz Fux, que discursou sobre o Projeto Justiça 4.0, comemorando a criação de uma nova realidade para o poder judiciário. Para ele, o programa – um eixo do CNJ – utiliza todo o potencial que a tecnologia pode fornecer para redução significativa de custos e o aumento da eficiência na prestação jurisdicional. Assim como para o Oficialato, ele considera “eficiência” uma palavra mágica.

Acompanhe a participação do Presidente do CNJ, Ministro Luiz Fux, por meio deste link:

“A justiça digital propicia o diálogo entre o real e o digital, facilita para nós, presidentes dos tribunais, a governança, a transparência e a eficiência, essa palavra-chave da economia. Eficiência significa ser realizador diante de ambiente de escassez ou anômalo, como o que vivemos, em que adotamos medidas de exceção – como os julgamentos não-presenciais – mas dentro de Estado de Direito. Temos verificado que o uso da via digital tem reduzido extremamente os custos e também propicia acesso do cidadão à Justiça de maneira mais célere, podendo obter solução para seus problemas intersubjetivos de maneira igualmente célere”, afirmou o presidente do CNJ.

O Justiça 4.0 compreende um pacote de projetos, como a plataforma Sinapses de desenvolvimento e cooperação em inteligência artificial e a Plataforma Digital do Poder Judiciário. E ainda tem ações voltadas à higienização e qualificação das bases de dados, fortalecendo a Base Nacional de Dados do Poder Judiciário (DataJud). O trabalho é desenvolvido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), sob a coordenação do CNJ. Para mais informações sobre o Justiça 4.0, acesse a cartilha abaixo.

Acompanhe, na íntegra, a transmissão do evento:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *